Tudo Sobre Financiamento Imobiliário

É um dos caminhos mais simples de você conseguir sua casa própria!

O Financiamento imobiliário é um dos caminhos mais simples de você conseguir sua casa própria. Mas você sabe como fazer? Acompanhe-nos e descubra.

Você já ouviu a frase “Quem Casa, Quer Casa” é uma famosa peça do dramaturgo Martins Pena, e que se passa no longínquo ano de 1845.

Advertisement

Ou seja, desde aquela época esta demanda por um lar que seja próprio já era discutida nos palcos e nas ruas.

E hoje em dia, tanto quem casa quanto quem não casa, amiga, namora, etc., querem casa!

Um meio interessante de conseguir isso é pelo financiamento imobiliário.

Afinal de contas, não é todo mundo que tem algumas centenas de milhares de reais na mão disponíveis para pagar à vista uma casa ou apartamento.

Advertisement

Segundo a ABECIP, que significa Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança, o crédito da poupança e de empréstimos usados para financiar imóveis chegou ao número de R$11,4 bilhões.

Isso apenas no mês de maio de 2022.

Apesar de ser um número vultoso, ainda fica abaixo do mês anterior em 23%, e 31,6% inferior ao mesmo mês do ano passado.

Por isso vamos ver como fazer um financiamento imobiliário. Mas primeiramente, apresentaremos as vantagens de fazer um. Leia em:

Como funciona contrato de aluguel digital

Principais vantagens do Financiamento Imobiliário

É bastante seguro o financiamento de imóveis

Decerto, uma das formas mais seguras de comprar uma casa ou apartamento é por meio do financiamento.

Advertisement

Pois geralmente estes contratos contam com seguros que permitem que você proteja o imóvel de possíveis adversidades.

O prazo para pagamento é bem longo

Com este é um investimento deveras importante, além de bastante caro, o pagamento é decerto muito facilitado.

Aliás, existem financiamentos que podem se estender por anos ou até algumas poucas décadas.

Isso é oportunidade para você arrumar um lugar para morar já e ter tempo e paz de espírito para pensar em como resolver o pagamento das prestações conforme o tempo passa.

Você pode se surpreender

Parece que vai demorar muito tempo para pagar as prestações, não é mesmo?

Afinal, só porque você tem 300 prestações para pagar não significa que você terá que ficar comprometido em depositar dinheiro 300 meses para a quitação do imóvel.

Pois é completamente possível ir antecipando as prestações.

Imagine que você consiga um dinheiro extra, seja por causa do 13º, seja por qualquer outro motivo.

Você pode pegar parte desse dinheiro e ir eliminando prestações!

Desta forma, a quitação virá antes do que você imagina.

Olha o FGTS aí gente!

O uso do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço também pode ser usado para ajudar na composição da quantia a entrada do financiamento.

Mas claro que isso depende de algumas circunstâncias e sobre alguns requisitos.

Podemos listar outros grandes benefícios de fazer um financiamento imobiliário, como por exemplo:

  • Garante a você um bom investimento para anos vindouros;
  • Você pode morar no imóvel assim que for aprovado o financiamento;
  • Juros são mais amigáveis.

E, sem dizer, a maior de todas: sair finalmente dos grilhões do aluguel. Agora vamos para o que interessa!

Veja esse vídeo sobre Financiamento Imobiliário:


O que você precisa para fazer seu Financiamento Imobiliário

Agora vamos passar para a parte prática: aprender como se financiar um imóvel para valer.

Este passo a passo lhe será bem útil.

É só seguir os pontos a seguir que você vai compreender como vai conseguir fazer este ato de libertação!

Primeiramente, temos que deixar claro que este financiamento pode acontecer com algum banco, seja público ou privado, entidade financeira semelhante, ou até por um programa voltado à habitação.

Por isso, fique atento e sempre escolha aquele que lhe for mais favorável, ok? Vamos lá!

Separe a documentação

Como é de se esperar, não poderia faltar a nossa tão amada burocracia, não é mesmo?

Por isso, vamos eliminar essa parte desde já.

Reúna os seus documentos pessoais, tais como CPF, RG, Certidões (casamento, nascimento ou de divórcio, se for o caso) e comprovantes (renda e endereço).

Não deixe de separar o Extrato do FGTS, especialmente se você quiser usá-lo, como demonstramos mais acima.

Em seguida, você terá que falar com o gerente da instituição financeira escolhida e levar também uma certidão especial.

É a negativa de Débitos, tanto a relacionada com a Dívida Ativa da União quanto de Tributos Federais.

Uma vez reunida esta documentação. É hora de entregar para o gerente e ir para a segunda parte.

Seu crédito será analisado – tenha calma

Este escrutínio do banco será necessário para verificar se você está bem na “praça” ou está devendo algo.

Ou seja, não precisamos nem dizer aqui que caso possua alguma pendência no SERASA, SPC e correlatos, é melhor você resolver isso antes de fazer um financiamento imobiliário.

O seu Score também será verificado. Quanto mais pagar contas em dia e menos dívidas não pagas tiver sido feito ao longo da vida, maior será.

Hora de se concentrar no imóvel

Agora, vamos passar as questões relativas ao imóvel em si.

Caso esteja de olho em um que seja novo, ou seja, que não tenha tido moradores, é possível usar o Sistema Financeiro de Habitação.

Mas neste caso é preciso não comprometer mais do que 30% do seu salário atual e ter ao menos 3 anos trabalhando sob o regime CLT.

Ou então você pode escolher um imóvel usado, o que é mais comum.

Em ambos os casos, você poderá usar o FGTS para ajudar na entrada.

Ainda vai ter que reunir toda a documentação referente ao imóvel em si.

Estamos falando de:

  • Planta baixa;
  • Registro;
  • Escritura;
  • Matrícula atualizada.

Assine o contrato e comemore

Caso o banco dê o “ok”, afirmando que tudo está certo com sua documentação, e as condições de pagamento estão dentro de sua realidade, é hora de assinar o contrato entre as partes.

Lembrando que, se o valor da parcela comprometer mais do que 30% da sua renda familiar, as chances de o banco aceitar são nulas.

Mas, uma vez estando tudo certo, basta assinar e registrar o documento no Cartório de Registro de Imóveis.

E parabéns, agora você é proprietário!

Bom, mais ou menos, já que a propriedade ainda estará alienada ao banco, mas já é um começo, não é mesmo?

Saiba mais sobre o Mercado Imobiliário, veja aqui.

Agora que você já sabe os passos e os benefícios de fazer um financiamento imobiliário, verifique suas condições e largue de vez o “bendito” aluguel.

Ajudamos você com este texto? Então, compartilhe em suas redes sociais!

 

*Fonte: https://news24hora.com/tudo-sobre-financiamento-imobiliario

Advertisement

Participe do Nosso Grupo e receba Novidades na palma da mão:

WhatsApp Telegram

Leia também

Esse site usa cookies Ok Mais detalhes

Termos & Política de Privacidade
Clique e Entre em Nosso Grupo 🥰